Definindo Design de Interação

maio 22, 2006

Bem, acho que o melhor jeito de saber o que você quer é definindo o objeto de estudo, ou comparando-o com coisas mais simples do cotidiano. Nesse caso vou tentar fazer um pouco das duas coisas.

Primeiramente por que do pouco conteúdo existente sobre o assunto, menos ainda se foca em definir o que é isso. Bem, a definição "acadêmica" de Design de interação: "É uma sub-disciplina do design, que examina os comportamentos desenvolvidos, a inteligência em interações, assim como, a convergência de produtos,sejam no espaço físico ou virtual." e um trecho que acho mais explicativo "é um mecanismo do design, baseado na experiência do usuário, que auxilia na relação entre pessoas e máquinas".

Para mim cada um tem sua definição sobre tudo (mesmo que sua opinião seja parecida com a do outro) e a minha seria: "é o foco total no usuário, tentando antecipar suas ações, prevenindo erros, deixando mais acessíveis informações relevantes e tornando sua experiência (no caso navegação) mais fácil possível " . Seria algo como a organização do design de um produto pensando em quem irá utilizá-lo.

Durante a pesquisa para esse post, encontrei um post no usabilidoido que achei muito interessante. Para facilitar as coisas, basta pegarmos alguns princípios de design de interação e veremos formas simples de aplicá-los ao dia-a-dia:

*Antecipação : O usuário não quer ficar horas em um site para encontrar algo que para ele deveria estar fácil, esse é uma grande dificuldade para quem trabalha na área: se o usuário não encontra o que ele quer no seu site, ele procura outro site. Então é bom encontrar o equilíbrio, não deixar tudo logo de cara, pois pode deixar o site confuso bagunçado e aí sim espantar visitantes, nem deixar conteúdo nenhum a vista (a não ser que o objetivo seu seja quebrar paradigmas, algo interessante, mas que exige cuidado), o usuário se perde completamente.

*Cores : É muito interessante o fator cultural das cores, elas ajudam muito a destacar algumas informações, esconder outras, dar um novo sentido ao contexto, e ,acredito eu, que elas podem influenciar, podem causar sensações (boas ou ruins, depende de quem usa…). Inclusive existem testes de personalidade utilizando cores, que podem ajudar a definir e agradar ao público do site.

*Foco no usuário :Olhe para o usuário, esqueça do computador. As melhores idéias vêm quando você menos espera. Esqueça do computador um pouco, saia ande na rua, leia um livro, deixe sua cabeça trabalhar. O computador toma muita atenção nossa, são muitos recursos que não nos deixam pensar e focar no que queremos.

*Metáforas : Use muitas metáforas, elas ajudam muito na compreensão da idéia. Elas criam figuras na cabeça de cada pessoa, tiram a idéia abstrata e a transformam em algo muito mais concreto. Comparações próximas das pessoas são muito mais fáceis de entender do que teorias.

Acho que esses são os principais conceitos, e o foco aqui é mostrar a minha definição de design de interação, com ênfase total no usuário (esqueça o computador), facilitando ao máximo sua experiência de navegação (a usabilidade aqui não é o foco, e sim um meio de chegar ao objetivo, o design de interação).

That's all🙂

9 Respostas to “Definindo Design de Interação”

  1. Olá,

    Bom ver mais um blog sobre IxD.
    Vou passar a acompanhar e indicar.

    abcs,

    Diogo Lopes

  2. rochester said

    vlw xD

    é bom saber que o blog está ganhando espaço, aliás, se quiserem indicar algum link, citar algum post ou até mesmo me mandar um, fiquem a vontade🙂

    []’s

    T+

  3. Oi Rochester,

    Legal sua iniciativa de definir design de interação. Acho fundamental para desenvolvermos nossas práticas, essa conceituação. Há uns dois mil e poucos anos atrás, tinha um cara chato que dividiu toda a filosofia em antes e depois dele, que fazia basicamente isso. Tentava definir o que era cada coisa, sua essência. O nome do chato era Sócrates. Já ouvi falar, né? hehe

    []s!

  4. Show de bola a tua visão. Pena que poucas pessoas colocam esses conceitos em pratica. O trabalho, muitas vezes, é feito para tirar o maximo da tecnologia, sem ter ideia que isso pode sair muito caro, ou seja, ira prejudicar o principal interessado: O usuário.

    Marcio

  5. rochester said

    Isso é bem verdade, muitas pessoas também sabem das vantagens de se utilizar padrões, design de interação, enfim, investir em seu produto ,mas não o fazem por vários motivos. Ou as vezes os próprios designers não citam essas coisas para o cliente, que provavelmente nunca tenha ouvido falar em tudo isso.
    É nosso trabalho falar sobre isso pessoal😉

    []’s

  6. Junia said

    Oi Rochester, eu estava aqui pensando que se o seu foco não é necessariamente a usabilidade então certos padrões do tipo Jacob Nilsen não vêm ao caso, certo? Então se a questão é discutir o design de interação, que eu entendo como interatividade, quero te propor uma visita ao site do meu grupo de trabalho. Temos alguns trabalhos experimentais por lá. Talvez você goste. Usamos muitas metáforas mas todas dentro do contexto de uma pesquisa que foi realizada antes do desenvolvimento de cada trabalho. A proposta é pura interação e exploração dos ambientes. Espero que vc goste e que vc me diga o que achou. bjs.

  7. Junia said

    ops! não sei se vc vai visualizar o endereço do site. Só pra garantir: http://www.neo.design.nom.br ;o)

  8. rochester said

    deu certo sim, gostei do portifólio de vocês, outro dia olho com mais calma🙂

  9. criação said

    muito legal seu blog..parabéns….

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: