SEO I – Conceituando

setembro 4, 2006

Em conversa com o Fabio, ele comentou que eu poderia ter publicado no MXStudio esse ultimo post, então expliquei meus motivos a ele, e para me “redmir” escrevi um artigo sobre SEO para a Coluna de Usabilidade do MXStudio.

SEO I – Conceituando

“Pequena” Introdução

SEO (Search Engine Optimization ou Optimizers) é o termo utilizado para designar a melhora do pagerank de um site, visando à melhora da classificação nos dispositivos de busca, voltado inteiramente para as chamadas buscas-orgânicas. São várias técnicas que são utilizadas, mas elas dividem-se basicamente em 2 tipos, as que visam à melhora por meios lícitos (os “SEO chapéu branco”), e as que tentam burlar os sistemas (os “SEO chapéu preto”). Ignoraremos o segundo grupo aqui (vale destacar que burlar os sistemas resulta em punições rigorosas às vezes, chegando até a não indexação do site).

Há “subgrupos” de fatores, que serão analisados nas próximas colunas, nessa focaremos mais em alguns fatores mais importantes, e na construção do conceito.

Chega até a ser engraçado como aqui no Brasil (em outras partes do mundo não sei como é) há um descaso com os dispositivos de busca, uma ferramenta que é muito utilizada por todas as pessoas, inclusive clientes em potencial. “Engraçado? Por Quê?” Bem, ao digitar algo em um dispositivo de busca, as pessoas chegam em blogs pessoais, ou mesmo em coisas antes de empresas “grandes”, ou mesmo sites de comércio, que tem o termo pesquisado como marca.

Para ver como tudo isso faz a diferença, basta olhar o exemplo do MXStudio. A estruturação do código é feita de uma forma que os dispositivos de busca sabem ao que devem dar peso. Isso dá um pagerank maior para o site no geral, que também é considerado em cada busca. Um exemplo simples, na busca por DIVLEss, o site da MXStudio fica em 2°, atrás apenas do site que foi citado no artigo do Fabiano.

SEO

Uma infinidade de pontos são considerados pelos dispositivos de busca ao dar o pagerank da página, e a maioria dos fatores que são discutidos foram concluídos apenas pela análise dos casos. Mas há alguns fatores em que se há a certeza de que ele é considerado, o que gera dúvida é a importância dele em relação aos outros.

Para entender melhor para que serve e como funciona temos que ver um pouco da história dos dispositivos de busca. No inicio os dispositivos de busca eram orientados pelos próprios WebMasters, onde o algoritmo dos sistemas seguia basicamente as Meta Tags. Mas devido ao abuso das Meta Tags, e pela facilidade de manipulação delas (onde o conteúdo do site pode não corresponder ao que esta nelas), elas perderam grande parte do seu poder (mais ainda hoje elas contam muito) e foram criados algoritmos mais complexos, com mais fatores considerados, e foi criado o pagerank. Aí nasceram dispositivos de busca como são vistos hoje.

São muito altos os números de pessoas que utilizam os dispositivos de busca com as mesmas palavras em apenas um dia. Imagine o número total de pessoas que utilizam a busca em um dia, mês, ou mesmo ano. Mas desse grande número de pessoas, cerca de 80% para na primeira página de resultados, e só com algum investimento em melhoria do pagerank (o tamanho desse investimento varia de site para site) o site consegue aparecer nos primeiros resultados da busca orgânica. A real vantagem de se investir em SEO é o aumento (notável mesmo com poucas melhoras) no número de acessos do site, e consequentemente mais chances de se alcançar seu objetivo.

Para adiantar um pouco o que será aprofundado nas próximas colunas, temos os fatores principais que devemos levar em conta, na hora de tentar melhorar o pagerank:

  1. Tag Title
  2. Texto dos links (o que fica entre o <a> e o </a>)
  3. Uso de Palavras-Chave no Documento
  4. Acessibilidade do Documento
  5. Links para páginas internas
  6. Assunto principal do Documento
  7. Links Externos
  8. Popularidade dos links para o Site
  9. Popularidade Global do Site
  10. Spam de Palavras-Chave

Considerações finais

Uma observação interessante é que são muitos fatores considerados para o pagrank, há quem diga que é algo entre 100 e 200, mas acredito até que possa ser mais. E não há certeza de que um fator é considerado ou não pelo fato das empresas não mostrar as listas dos fatores, e também de que cada dispositivo tem seu próprio algoritmo, ou seja, cada um dá peso a uma coisa (que pode ser a mesma que outros, ou não).

That’s All🙂

Rochester Oliveira – Coluna de Usabilidade
Para qualquer dúvida ou sugestão:
Mande um e-mail para Rochester Oliveira – rochester@mxstudio.com.br
ou visite o fórum de Usabilidade do MXStudio

 

Uma resposta to “SEO I – Conceituando”

  1. Semantica é a palvra-chave para uma boa estratégia em relação aos mecanismos de busca.

    Isso, aliado (obviamente) à um código limpo e leve, garante um bom lugar nas pesquisas, além de um site atualizado constantemente e bem relacionado (leia-se bastante divulgado no meio, com links vindos de vários outros sites).

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: