Pra não deixar os leitores que viram o post anerior perdidos, e sem saber no que deu a minha saga, aviso que já comprei o domínio, estou aguardando a confirmação do pagamento, e depois é só hospedar (alias, consegui a hospedagem graças a esse blog, por um leitor que se ofereceu – e que recusou enfaticamente qualquer propaganda de hospedagem 😛 – , mas não pretendo explorar ele por muito tempo) e eu posto aqui a apresentação do blog novo.

Pra não perder a viagem, aproveito pra divulgar a idéia do Fabio, amigo meu e adiministrador do MXStudio, e futuro patrão (haha!) que criou um site para sua campanha/sonho de trabalhar na Google: http://www.euquerotrabalharnogoogle.com/.

Ele conta com o apoio meu, do Cardosão (foda né?) do Fabiano, do MXstudio, e de todo mundo que também tem interesse no AdSense mais bem pago.

Boa sorte ao Fábio. E aguardem novas noticias em breve.

Rochester Oliveira. Por uma Web Bem Feita 

Anúncios

Jump!Ultimamente uma questão tem me afligido muito, a de ter ou não um domínio próprio.

Senti o drama quando tentei brincar com temas novos, no meu aniversário, e não fiquei feliz com o resultado (tanto que acabei trocando de novo depois :P)

Meditei um pouco e cheguei aos seguintes pontos que me fazem mudar ou não de domínio:

Motivos para não mudar

  • Tenho links de sites “grandes” para cá, mudar seria perder todos (ou boa parte deles).
  • Leitores por feed são cerca da metade do total (apesar de que não confio no contador BETA do wordpress), nessa mudança eu poderia perder muitos deles.
  • Custo ZERO
  • Perda de tempo com migração para o novo sistema (tá, esse nem é tão forte)
  • Não tenho tanta dor de cabeça assim com o blog hospedado aqui

Motivos para mudar

  • Maior liberdade (upload de imagens, videos, podcasts, mexer a vontade nos temas, colocar as barras laterais como quero, plugins – e MUITOS – enfim, um domínio MEU)
  • Não ter que assinar em baixo do wordpress (será meu nome e ponto)
  • Possibilidade maior de crescimento
  • Possibilidade maior de rentabilização

Aliás, esses motivos são meus, mas pode ser que tenha mais gente nesse dilema ;D

Então, novamente estou eu aqui para pedir a opinião de vocês, se vocês acham que eu deveria ou não arriscar sair do conforto de blogar “de graça” , ou tentar o “recomeço” num novo domínio proprio?

Pesquisa com Leitores #2 – Domínio próprio ou não?

Agradeço a participação de todos

😉

Rochester Oliveira. Por uma Web Bem Feita.

Presentinho

Nesse solene dia 15 de Fevereiro do ano de 2007 a pequena criatura que vos fala estará um ano mais velha.E como não quero gastar nem comigo mesmo, me dei de presente algumas mudanças no blog.

Agora ele é verde-de-doer-o-olho (um pouco mais de luminosidade que o verde limão) verde, preto e branco, mais “simples” (depois de passear por muitos temas e ficar com o olho doendo depois de testar o Greenery, acabei sossegando com esse, o Green Marinée, apesar dele ter destruido minha barra lateral, motivo pelo qual possivelmente eu devo trocar denovo o tema – ou encher o saco, deletar esse blog e tomar vergonha na casa pra comprar um domínio, pra poder colocar tema e plugin a vontade :P)
e vou tentar acompanhar cada post de uma imagem que o descreva. Acho que unir a imagem ao post é sempre bom, além de dar um ar mais descontraído ao blog.

Além das novas mudanças de conteúdo, mas sempre com foco na web bem feita.

Bem, espero que gostem das mudanças.

That’s All 😀

Só porque estava nas festas de fim de ano, e férias (que pena que não tem plural pra férias…) acabei esquecendo dessa criança aqui… E da outra, no MXStudio (aquela deve estar aos berros já, pois faz MUITO tempo que não dou atenção a ela :P) que também tem outros pais desatentos…

Ano novo… Vida nova… Mas o blog, esse sim é o mesmo.

E com promessa de escrever sobre Web 2.0 (parece que eu quase nao falei sobre isso :P), Semiótica (sim, vou tentar escrever mais sobre.. esse tema é extremamente interessante), as tão prometidas análises de usabilidade e acessibilidade, o tal do humano invés de usável, fechar minha saga sobre SEO (que parece ter demorado mais do que muitos animes por aí…) e mais muitos temas que surgiram (e que estão por vir, claro).

E Feliz 2007 a todos 😀

That’s All 😀 (acho que devo mudar esse bordão…)

Você faz site?

dezembro 12, 2006

Eu não.

Eu crio, projeto, desenho…

Sentiu a diferença?

(to) Design : Criar projetos, Planos, Projetar, Desenhar,Calcular, Esboçar, Delinear, Maquinar…

Fazer : Obrar, Executar.

Ainda há quem pense que site é só o que aparece na tela. Site é conteúdo, forma, e estrutura, mas a estrutura, por não ser visível (ou não diretamente), muitas vezes é ignorada. E o projeto, estudo, análise, e todo o “trabalho mental” que é feito até chegar na apresentação, ás vezes também é esquecido.

Não é só pegar um tijolinho de HTML, outro de PHP, e um pouco de imagem e CSS pra “dar liga”. Web Design é arte. A máxima “10% de inspiração e 90% de transpiração” não vale aqui. Pelo contrário. 99% é aquela idéia super inovadora de 1,6 bilhões de dólares que a gente tem que vender por muito menos. É o insight que a gente tem quando menos espera (mas que a gente tem que deixar o cérebro trabalhando em background para isso).

Acima de tudo, vendemos sensações que o site causa no usuário. Conforto, segurança, alegria, felicidade, facilidade, inclusão, controle, poder… Poder é a palavra, dê poder ao usuário, seja de ajudar na construção do conteúdo, mudar a interface, escolher e fazer do site um sucesso ou um fracasso.

Todas essas sensações são únicas em cada site. Por isso não acredito na idéia de sites seguindo um modelo, com produção em série. Se o seu site é idêntico ao do vizinho, que vantagem eu tenho? É como achar que propagandas iguais de empresas diferentes têm o mesmo impacto que se fossem únicas. Isso acaba anulando as duas (ou seja lá quantas forem).

Você diria que Leonardo “fez” a mona Lisa? Ou que Ludwig “fez” a 9ª? “Mas para pintura existe ‘pintar’, e para música existe ‘musicar’…”. Realmente, para um termo roubado do inglês não temos nada tão específico quanto pintar ou musicar. Mas “fazer” com certeza não é nem próximo da idéia principal do Web Design. “Criar” talvez englobe muito melhor tudo isso.

Não estou dizendo para você olhar feio e corrigir seu cliente se ele te perguntar se você faz site. Ele não tem obrigação (nem interesse) de saber isso. Mas o profissional deve ter (ao menos um pouco de) interesse nisso.
Acho que o Alessandro foi muito feliz em seu comentário sobre a utilização do termo “Humanizado” :

[…] Alguns acham esta preocupação perda de tempo, mas classificando e nomeando bem um assunto, pode-se evitar muitas confusões. Por que não ser mais intuitivo e mais fiel aos significados ? […]

Acho que resume todo o meu objetivo até aqui…

That’s All 😀

Olha o curso grátis aê

dezembro 8, 2006

Ou melhor, oS cursoS. São 2. Da Visie.

Para ganhar basta você ser melhor que os milhões de atuais concorrentes (incluindo eu) e dizer em um post (com trackback para lá) o que você faria para ganhar os cursos online da Visie.

É mais fácil falar o que eu não faria:

  1. Criar um blog apenas para isso (já tenho 5, e mal escrevo em 1 :P).
  2. Realizar qualquer ação ilícita ou que possa resultar na prisão da minha mãe.
  3. Vender meu corpo (porque meu cérebro já fugiu faz tempo, então não tem como vender).
  4. Sair pedindo feito um
    besta (pedir todo mundo pede, é fácil, mas pensar em algo criativo para dizer, isso sim é difícil).
  5. Colocar fotos/imagens apelativas que fujam totalmente ao escopo (haha!) do blog (pois falar de cursos de web não é fugir do tema de um blog, se você já fala de web nele).
  6. Parar de perturbar alguém no msn (poxa, essa é minha maior diversão 😉 ).
  7. Matar trabalho pra postar (só estou deixando de fazer um trabalho “super-legal” de geografia -último do ano, espero- e por acaso faltei aula no senai ).
  8. Viajar para qualquer lugar que seja (e que vantagem isso iria trazer pra empresa? mais fácil guardar a grana e bancar o curso :D)
  9. Falar que eu preciso muito porque meu site está todo em tabelas (minha primeira prova de HTML que o diga :D).
  10. (Esse é o principal) Não usar de sarcasmo/ironia/metáforas contra meus concorrentes, porque isso (não usar de sarcasmo/ironia/metáforas) é feio.

Qualquer coisa não mencionada acima eu faria (veja antes o termo de responsabilidade). Isso inclui “perder” as férias (que já são BEM curtas) estudando, fazer um layout pro ZenGarden (já estou brincando com um layout há algum tempo 🙂 ) ou uma versão tableless do orkut como TCC, gastar toda a minha criatividade de fim de tarde, todos os parênteses, travessões e emoticons disponíveis, e até fazer “publicidade grátis” (vale lembrar que está valendo 2 cursoS) da Visie, apesar de eles não terem me contratado.

Brincadeiras a parte, essa é a minha humilde participação… Agora é esperar o resultado para ver quem ganha.

That’s All 😀

Resultado da pesquisa #1

dezembro 2, 2006

Depois de algum tempo morto, eu voltei das profundezas (que cheguei lá graças as minhas queridas escolas, e os trabalhinhos) para divulgar o resultado da primeira pesquisa feita com leitores por aqui.

Como eu já esperava, o pessoal quer ver mesmo é exemplos práticos e análises sobre alguns sites, como já foi feito, por exemplo, com o tableless, o yahoo e com o orkut e hatrick.

A opção mais votada na pesquisa foi a de Análise de Usabilidade de alguns sites 25% (13 votos), então começarei a dar um pouco mais de destaque a esse tema, junto ao segundo mais votado Análise de Acessibilidade de alguns sites 22% (11 votos), que eu não esperava que fosse receber tantos votos.

A Teoria sobre Usabilidade ficou com 20% (10 votos) e é um tema que eu gosto muito, e meu último post foi dedicado a esse assunto

Design de Interação recebeu 18% (9 votos) e é um tema que era foco principal no início da blog, mas logo acabei encontrando temas mais interessantes (e quem sabe, mais úteis?) e que “agradam mais” os leitores.

Semiótica ganhou apenas 14% (7 votos), que me “assustou” pois é um tema que me “rende” mais visitas (principalmente de buscas) e que eu também gosto em especial, mas que ainda tenho MUITO o que estudar… Mas acho que é exatamente por ser algo “desconhecido” ou pouco respeitado na web que esse tema fica escondido ás vezes.

E Outros foram 2% (1 voto) que quem votou sugeriu o tema SEO (não sei se essa opção fica aberta à visualização do público) que já foi bastante abordado aqui, mas que há muito ainda que se falar.

No fim a pesquisa me ajudou um pouco a entender o que os leitores “ativos” (já que o post foi muito visualizado, mas poucos votaram) querem saber mais, e vou tentar seguir esse rumo (principalmente porque vai de encontro ao que eu gosto e quero escrever).

That’s All

Esta resenha foi sugerida e patrocinada pelo programa REVIEW ME

Depois de ver um post no blog do contraditorium falando sobre o tal serviço, resolvi testar, apesar de saber que para os pequenos quase não tem efeito.

O que é?

É um serviço que junta o “talento para escrever” dos blogueiros à vontade de crescer dos anunciantes. Eles pagam para que você faça a propaganda do site deles. E com uma grande vantagem, o blogueiro escolhe se irá fazer ou não a propaganda, ou seja, se você não gostar do site você não é obrigado a escrever.

“Nós exigimos que as resenhas tenham pelo menos 200 palavras, e que o post com a resenha seja destacado como sendo patrocinado, de alguma forma”

Essa é a regra do jogo. Que me parece bem favorável aos blogueiros.

O interessante do serviço é que os anunciantes pagam pelo tempo do blogueiro, ou seja, você será pago para blogar ( diga-se de passagem é o objetivo do Cardoso).

“Mas o pagamento deve ser mínimo…” não. Você recebe 50% do preço do anúncio, que depende do ranking do seu blog (o tráfego dele, os assinantes dos feeds, e o rank no technorati), que no meu caso é de U$40,00 (considero “alto” em vista que o do contraditorium por exemplo é de U$60,00 – apesar que não me lembro se o preço que está o meu não é o mínimo, e o máximo é de U$200,00).

Porque Review Me?

As principais vantagens apresentadas no próprio site do serviço são:

  • O anunciante pode ver exatamente onde ele anuncia, quais são os dados sobre o site, qual é o retorno que a propaganda está trazendo…
  • Diminuir os custos com toda a criação de uma forma de propaganda.
  • As pessoas ignoram propagandas e banners. Por não parecer uma propaganda direta, as pessoas darão mais atenção e valor no que está escrito.
  • Não são anúncios genéricos, irrelevantes ou irritantes. Eles têm a ver com o contexto do site, e com o público que o visita.
  • Junta os blogueiros interessados em falar sobre os seus produtos, sem precisar procurá-los, já que dentro da rede do serviço já há vários blogueiros cadastrados.

That’s All 😀

Pesquisa com leitores #1

novembro 8, 2006

Nesse pouco tempo que ando escrevendo aqui, vi que o pessoal está participando bem, então resolvi fazer uma pequena pesquisa, para ver o que o pessoal se interessa mais, e até aceito sugestões de temas (tem uma opção para criar sua alternativa, e fiquem a vontade para mandar emails)

Pesquisa #1 – Sobre qual desses assuntos você gostaria de ler?

Não deu pra colocar a pesquisa direto aqui porque o wordpress é meio complexado com scripts =/ então o máximo que posso fazer é deixar o link mesmo 😛

Aliás, gostei muito dessa ferramenta para criação de pesquisas, recomendo =D

That’s All 😀

“Não Me Faça Pensar”

novembro 1, 2006

Post relâmpago para uma leitura altamente recomendada “Não me Faça Pensar” de Steve Krug. Nos poucos minutos que me sobraram antes de ir para o SENAI comecei a leitura (comprei o livro na Intercon inclusive).

Livro bem fino, e como o autor diz “dá pra ler em uma viajem de avião”. Como nunca viajo (ou viajei) de avião, tenho que ler no tempo que me resta mesmo 😀

Parece realmente ser rápido de ler, mas é daqueles que se lê com um bloquinho do lado, para anotar os (muitos) pontos interessantes e que podem virar idéias para a dominação mundial, ou apenas idéias genias para artigos…
Essa semana acho que não postarei mais, mas criei uma página nova há pouco tempo, para não passar muito em branco.

e às 2h39

That’s All 😀